BrasileirasPeloMundo.com
Espanha Política Pelo Mundo

A incerteza política espanhola

Para quem acompanha o BPM, deve ter lido que no mês de dezembro houve eleições para Presidente aqui na Espanha. O curioso é que até este mês ainda não está claro quem será o novo Presidente do país, porque para que se dê o resultado, o candidato deve ter uma maioria de votos e isto somente será possível através de acordos posteriores às eleições.

O atual momento da política espanhola é de incerteza. Há quatro partidos negociando e ainda não se chegou a nenhum consenso entre as partes.

Assim como a política e a economia brasileira está atravessando um momento bastante delicado, a Espanha também tem suas peculiaridades.

A política é a ferramenta através da qual se articula a economia (e outras áreas) de um país. São funções interdependentes entre si. Talvez por ter estudado Economia julgo que  é algo mais palpável, já que se trata de uma ciência, ainda que também se defenda a ideia de que a primeira, por sua vez, também seja uma ciência. O fato é que a economia sempre esteve estreitamente relacionada à política de um país.

Pensando um pouco em política e em economia, me lembrei que em Madri existe uma entidade que representa a Ibero-América (Portugal, Espanha e América Latina) e oferece sempre alguns eventos e informação sobre este continente à sociedade.

A SEGIB é uma entidade direcionada e preocupada com assuntos da região Ibero-americana . Sua função principal é coordenar as Cumbres do bloco. É uma organização muito importante na relação política e econômica para todos os países membros.

Como março é o mês das mulheres e o BPM está abrindo o espaço para que falemos um pouco sobre as mulheres importantes do país onde moramos, não foi difícil relacionar este momento e me lembrar da Rebeca Grynspan, Secretária Geral da Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB).

Foto: www.nortiamerica.com
Foto: www.nortiamerica.com

Rebeca nasceu na Costa Rica. Estudou Economia e atua ativamente na Política exercendo vários cargos de destaque em organizações importantes no mundo. É Secretária Adjunta da ONU (Organização das Nações Unidas) e Administradora Associada do Programa para o Desenvolvimento da instituição. Iniciou sua trajetória na SEGIB em 2014, depois que o anterior Secretário deixou o cargo.

A SEGIB tem um papel fundamental nesta nova consciência do bloco ibero-americano. É a entidade que representa este novo valor da América Latina com Portugal e Espanha. É onde cada país associado tem sua própria voz e pode se comunicar no seu próprio idioma sem sentir-se incômodo e ser compreendido.

Já participei de vários eventos da SEGIB e sempre que posso ainda participo. Rebeca sempre está presente na maioria deles. É uma pessoa muito simpática, receptiva e uma excelente anfitriã. Além disso, está muito comprometida com o trabalho que faz e tem consciência da importância dele para a Ibero-América. Uma mulher muito segura e com ideias claras, que entende os objetivos da entidade que representa e os desafios da região. Nota-se uma profissional muito apaixonada pelo que faz.

Como brasileira, estou muito satisfeita de o Brasil ter se juntado ao grupo de países que já vêm caminhando juntos na SEGIB, com a nossa nova representação na Espanha, o Embaixador Sr. Antonio Simões. É bom saber que teremos uma cadeira na primeira fila nos eventos que estão por vir e que teremos nosso lugar reservado em cada um deles.

E que poderemos contar com Rebeca Grynspan para representar, expressar, transmitir e difundir a todos nós o passado, presente e futuro da Ibero-América.

Foto: Fernanda Medeiros
Foto: Fernanda Medeiros

Para finalizar, independentemente de quem seja o novo Presidente da Espanha e os próximos cursos que seguirão a política e a economia brasileira, o que desejo e acredito que desejamos todos é que venham dias melhores, que nosso futuro esteja assegurado por políticos conscientes e capazes de dar o melhor de si para que ambos os países possam continuar se desenvolvendo. Que tudo siga adiante da melhor maneira possível e que a população possa ter uma vida digna.

Tanto o Brasil (país onde nasci) como a Espanha (país onde escolhi morar) são países com grandes potenciais, interessantes e importantes para o mundo. Dentro da minha perspectiva, o momento atual representa uma transição para uma próxima etapa. E esta nova etapa ainda não conhecemos e vai depender do que se defina neste período. O certo é que vai haver mudanças. O que nos resta fazer é acreditar que serão para melhores.

Quem já tem alguns anos de vida sabe que as melhores decisões são aquelas que chegam pouco a pouco e naturalmente. Decidir o futuro de um país não é uma lição fácil nem imediata. São necessários muitos processos até chegar ao resultado final.

O que fazem os momentos de crise é aflorar outras faltas e debilidades. E é a partir daí que se devem dar as mudanças, baseada em passos seguros e conscientes.

Related posts

Natal nos povoados mais bonitos da Espanha

Camile Wyatt

Dia de Reis na Espanha

Juliana Bezerra

Visto para estudar em Barcelona

Marianna de Castro

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação