BrasileirasPeloMundo.com
Suécia

Conheça as doenças de inverno que assustam os suecos

Sabe aquela época do ano que você torce pra não chegar? Então, se você perguntar para um sueco qual o período mais temido do ano para o sueco ele com certeza vai te responder que é o mês de fevereiro e a resposta, com certeza será unânime, entre os suecos com crianças pequenas. Curiosa pra saber o motivo?

Então, vamos lá. Fevereiro é o mês do ano que as suecos mais ficam doentes. É no mês de fevereiro que empresas e escolas registram o maior índice de ausência de funcionários e alunos devido as chamadas doenças de inverno. Filas nas recepções de pronto-socorros e postos de saúde também aumentam significativamente. Ou seja, fevereiro é, definitivamente, o mês que o sueco gostaria de tirar do calendário anual. Tanto é assim que o suecos mesmo costumam fazer piadas com o mês de fevereiro, mas conhecido como “o mês de ficar em casa doente”.

Pra quem está de mudança para cá, morando aqui a pouco tempo ou até mesmo de passeio durante o inverno é sempre bom saber quais são as doenças mais comuns e como se proteger delas, já que algumas são desconhecidas por nós brasileiros. E posso te garantir que a primeira vez que se pega a gente acha que vai morrer, literalmente.

Leia também: Custo de vida em Estocolmo

Aqui estão alguns exemplos e como tentar evitá-las:

A influensa do tipo A e B, também conhecida como H1N1 e uma inflamação nas vias respiratórias causada por vírus que causa febre muito alta, dores constantes no corpo e garganta, e em muitos casos tosse forte seguidos de problemas respiratórios. Diferente da nossa famosa gripe, demora semanas para passar e pode causar complicações, principalmente em pessoas com problemas respiratórios sérios. Como geralmente a pessoa fica semanas de cama a maioria dos suecos se vacina contra a influensa antes do período de contaminação começar. A vacina é bastante eficaz, mas deve ser tomada todos os anos, já que o vírus sofre mutações e nunca se manifesta da mesma forma.

Este inverno, por exemplo, o vírus da influensa foi um dos mais fortes se comparado aos anos anteriores. A vacina é recomendada em primeira mão para grávidas, asmáticos e pessoas acima de 65 anos. Mas, não significa que qualquer pessoa possa tomar. O valor custa em média 350 coroas suecas e a vacina é aplicada em determinadas redes de farmácia e nos postos de saúde do bairro. Vale lembrar que nos postos de saúde é necessário marcar um horário. Minha recomendação é que é sempre bom tomar a vacina, mesmo não fazendo parte do grupo de risco. Você vai poupar semanas em cima de uma cama. Existem formas de se proteger sem precisar tomar a vacina? Lavar as mãos regularmente, evitar lugares de aglomeração como metrô e ônibus. No demais, é contar com a sorte.

Leia também: A escuridão do inverno na Suécia

O vomito de inverno (vinterkräksjuka) é causada pelo vírus calicivírus e é uma das doenças mais temidas pelos suecos devido ao alto grau de contaminação. O risco de contaminação é sempre entre os períodos de novembro e abril. Os sintomas do vômito de inverno são: febre alta, sudorese, vômitos seguidos que podem durar de 24 à 48 horas, diarreia e dores fortes de barriga. Pegar o vírus pela primeira vez pode ser um pouco assustador já que a sensação que se dá e que a pessoa está morrendo, mas eu garanto que ela passa. Se você tiver sorte já estará bem de novo depois de 24 horas. Pegou o vírus? Não saia de casa nem pra ir ao médico, pois como escrevi acima o grau de contaminação é muito forte. O melhor a fazer é tentar se alimentar com soro para evitar desidratação e esperar. Geralmente, quando alguém da família pega as outras pessoas próximas também pegam. Caso você tenha filhos em idade escolar a recomendação é que todos fiquem em casa até o risco eminente passar para se evitar contaminação de mais pessoas. Como se prevenir do vômito de inverno? Manter uma boa higiene, como por exemplo: lavar sempre bem as mãos quando chegar em casa da escola/trabalho, sempre antes das refeições e depois de usar banheiros.

Para mães de bebês pequenos é importante sempre estar atenta ao vírus RS. Geralmente são bebês recém-nascidos ou menores de 1 ano que são o grupo de risco. O vírus RS afeta os canais das vias respiratórias, deixando-as inchadas, o que dificulta a respiração. O vírus RS se parece muito com um resfriado normal, ou seja, tosse e nariz entupido, por isso a atenção deve ser redobrada. A diferença é que com o tempo a criança vai apresentando dificuldades de respiração, perde o apetite e apresenta um cansaço maior do que o de uma gripe comum. Neste caso deve-se imediatamente procurar o pronto socorro mais próximo. O vírus RS é mais comum entre os meses de janeiro e fevereiro. A forma mais efetiva de prevenção do é proteger a criança de contato físico com outras pessoas que estejam resfriadas. Diga não para as pessoas que queiram beijar ou abraçar seu bebê. Aqui, na Suécia, você não terá este tipo de problema já que o sueco não é muito à favor de contato físico, especialmente com estranhos.

Ainda falando em doenças de inverno, algo que não é de praxe no Brasil mas que aqui se leva muito a sério é a seguinte regra: lugar de doente é em casa. E esta regra vale até mesmo para uma simples dor de garganta ou nariz entupido. Quer deixar o sueco de cara feia com você? Vá trabalhar doente. Pelas leis trabalhistas suecas você pode se ausentar do trabalho durante uma semana sem perder sua remuneração. A mesma regra vale se você precisar ficar em casa com criança doente.

No mais, boa sorte!

Related posts

A temporada da caça na Suécia

Semida Silveira

Dicas para andar na neve

Semida Silveira

Bairros para morar em Gotemburgo

Ana Laura Stål

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação