Natal na Suécia e a solidariedade

Os suecos celebram o Natal desde o tempo dos vikings. No começo era uma tradição pagã, que com o tempo se tornou cristã, mas sem dar muita importância para o quesito solidariedade. Nos últimos anos este cenário tem mudado. São muitos suecos que optam pelo trabalho voluntário durante a véspera e o dia de Natal, o que mostra que a sociedade sueca também tem contribuído para o espírito natalino

0
196
dreamtimes
Advertisement

Natal na Suécia e a solidariedade.

Fazia tempo que eu não saia para ir às compras e quando fui comprar um presente de aniversário dias desses me deparei com decoração natalina em todo o centro de Estocolmo. No corre-corre do dia-a-dia me esqueci que o Papai Noel está a caminho. Quando morava no Brasil sempre apreciei os festejos natalinos, mesmo achando que havia um tom de falsidade por trás dos presentes de Natal.

O que sempre me animou com o Natal era o que no Brasil a gente chama de “espírito de natalino”, ou seja, a alegria de dividir com quem tinha menos que nós, a preocupação de não deixar ninguém sozinho nesta data. Também cresci em uma família cristã onde aprendi desde pequena que Natal é um período de doação e de mostrar amor ao próximo.

Me lembro que quando pequena costumava juntar meus poucos brinquedos e roupas que não me serviam mais para levar para crianças menos favorecidas da região onde morávamos. Por isso, o Natal para mim, sempre foi sinônimo de solidariedade. Do meu primeiro Natal na Suécia não tenho muitas lembranças. Mas me lembro das comidas tradicionais de Natal e da entrega de presentes entre os que estavam presentes no jantar de Natal.

Os anos foram se passando e aprendi que Natal para os suecos era sinônimo de stress e não de solidariedade. Nunca vi as pessoas tão estressadas e com tanto mau humor quanto nas semanas que antecediam o Natal, principalmente para quem vai às compras. Foi depois que me mudei para cá que aprendi a me familiarizar com o termo “stress de Natal”.

Me recordo que a primeira vez que ouvi alguém falando em “stress de Natal”, perguntei para mim mesma: “mas como assim stress? Natal é símbolo de confraternização e não de stress, certo? E muitas vezes me peguei perguntando onde eu encontraria o “espírito natalino” em terras suecas, já que a impressão e experiência de anos aqui me fazia concluir que o mesmo não existia. Com o tempo aprendi que para os suecos o Natal deve ser um dia alegre e perfeito, e para alcançar a perfeição de algumas horas eles se estressam mais do que na verdade precisam.

Uma outra crítica que sempre tive em relação ao Natal por aqui era que sentia falta do tal espirito natalino. Tudo isto somado ao frio e a escuridão do inverno contribuía para querer fugir daqui, rumo ao Brasil. Nos anos que não podia ir ao Brasil eu me inscrevia como voluntária nas igrejas do meu bairro para distribuir comida ou cobertor para os poucos moradores de rua que existiam 10 anos atrás.

Me revoltava em ver que éramos tão poucos voluntários. Na maioria estrangeira. E sempre me perguntava o por quê de o Natal aqui ser algo tão restritivo. Antes de ter minha própria família, passei alguns Natais sozinha. Algo que as pessoas ao meu redor sabiam, mas pareciam não se importar.

Algumas vezes perguntei a amigos suecos o por que de uma celebração tão restritiva. Muitos não sabiam responder, já que não paravam para pensar que o Natal podia ser visto da forma como eu via. Resolvi pesquisar por conta própria uma resposta plausível a minha indignação de não ver o espírito natalino em todo lugar. E para entender um pouco mais do comportamento sueco no que se refere ao Natal vi que era importante entender o motivo de os suecos comemorarem o Natal. Sim, porque mesmo o Natal sendo algo que não conseguimos viver sem no Brasil, o mesmo não tem a mesma importância em outros países.

Pois bem, os suecos comemoram o Natal, muito antes do Cristianismo chegar por aqui. No começo era uma tradição pagã, que anunciava que o período de inverno tinha chegado a sua metade. Cada família comemorava a seu jeito. Cada um por si. Com a chegada do catolicismo e mais tarde do protestantismo, o Natal passou a ser comemorado em memória ao nascimento de Jesus Cristo. Mas, por aqui, a religião nunca falou mais alto e a boa condição econômica que a maioria das pessoas vivem fazia e ainda faz, com que a solidariedade, em prática, não seja o ponto forte do sueco, especialmente nesta época do ano.

No geral, se você perguntar para um sueco o motivo dele comemorar o Natal ele vai te responder que o Natal é uma oportunidade de reunir a família, ter um pouco de descanso do trabalho no meio do inverno e alegrar as crianças com os famosos presentes de Natal.

Outra coisa que também tem muita importância durante as festas natalinas são as comidas e bebidas típicas, assim como canções folclóricas e programas de televisão que se tornaram tradição ao longo das últimas décadas. Conclusão, se reunir em família para comer, cantar e beber é o que importa para os suecos quando o assunto é Natal. Tanto é assim que o natal sueco é famoso por ser um natal reservado somente para a família.

Mas a minha pesquisa me levou a uma outra conclusão: o espírito natalino que tanto significa para mim tem começado a tomar mais espaço na sociedade como um todo, nos últimos 2 anos. Vou dar alguns exemplos que me fazem abrir um sorriso no rosto quando penso que o Natal está se aproximando:

– Algumas companhias de táxi em Estocolmo começaram um projeto muito bacana para trazer um pouco de alegria à famílias carentes. Desde o ano passado muitos motoristas se vestem de papai Noel na noite de Natal e levam presentes para as crianças menos favorecidas dos subúrbios ao redor de Estocolmo;

– O número de voluntários para distribuir cobertores e agasalhos para moradores de rua entre 24-25 de dezembro aumentou em 80% desde 2015;

– O espírito de Natal também começa a tomar espaço nas redes sociais. Existem vários grupos de Facebook onde moradores de um bairro inteiro estão se juntando para recolher doações de agasalhos, comida e brinquedos para famílias necessitadas, principalmente refugiados. Hoje mesmo vi um grupo de Facebook, onde famílias suecas já estão avisando que suas casas estarão abertas para receber pessoas que não tem onde passar as comemorações natalinas.

O stress de Natal com certeza vai estar presente em 2017, mas já vejo que o espírito natalino também vai ter um espaço significante. Meus votos são que ele ganhe mais espaço a cada ano que passar e que o stress de Natal vá perdendo sua força.

Passando o Natal na Suécia? Então fique atento para as seguintes dicas:

  • O Natal por aqui é comemorado no dia 24 de dezembro. A ceia de Natal é sempre feita por volta das 16 horas. Durante a ceia os suecos cantam muitas músicas folclóricas. Prepare-se para cantar!
  • Amigo secreto não é uma tradição local. Muitas famílias compram presentes somente para as crianças, no intuito de diminuir o consumo exagerado.
  • As crianças suecas, no geral, não acreditam em Papai Noel e sabem que é algum parente que está por trás do roupão vermelho.
  • Se você está em Estocolmo provavelmente não verá neve. Ela só dá o ar de sua graça em meados de janeiro. Mais sobre o Natal na Suécia você encontra no link Natal na Suécia

Feliz Natal a todos os leitores do Brasileiras pelo Mundo!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.