Vale a pena morar fora?

19
3642
Fonte: pixabay.com
Advertisement

A vida é um constante equilíbrio entre as nossas escolhas e as consequências dessas escolhas. Escolher um caminho nos deixa com a dúvida do que teria acontecido se naquele momento, naquela bifurcação, tivéssemos virado à esquerda ao invés de à direita. Esta inquietude faz parte da natureza humana, não tem jeito.

E se eu tivesse ficado ao invés de partido? E se eu tivesse vindo antes? E se eu voltasse agora ao Brasil? Essas dúvidas sempre ecoam na mente inquieta de quem um dia escolheu morar em outro país.

Não só a mente fica inquieta depois que você deixa seu país e arrisca novos ares. A alma também se inquieta e nunca mais você vai sentir-se em casa como antes, em nenhum lugar. Hoje em dia, quando vou ao Brasil de férias, não me sinto em casa. E quando estou na minha casa em Portugal, também não me sinto 100% em casa. Sempre vai faltar algo, pois experimentar o melhor dos dois mundos faz com que você sinta a falta de um ao saber o sabor do outro.

Eu queria a tranquilidade que tenho aqui com a família e amigos que tenho lá. Eu quero o jeito fácil de conversar de lá com a civilidade daqui. Quero que meu filho cresça brincando com os avós de lá e com a escola pública de qualidade de cá. Como faz?

Para quem me pergunta se vale à pena morar fora do Brasil, respondo “depende”. Depende da balança de cada um nas escolhas versus consequências. Quanto é importante a sua zona de conforto para a sua felicidade? Neste ponto, é importante ser honesto consigo mesmo, pois sempre nos dizem que o melhor mesmo é sair da zona de conforto. Porém, isso não funciona da mesma forma para todas as pessoas. Para umas pode ser ótimo, mas para outras, não.

Fonte: pixabay.com

 

 

Sair da zona de conforto envolve o desconforto inicial de não-identidade com aquela nova vida. Isto é o preço da adaptação, que pode ser de uma semana para um, e de mais de anos para outro. Depende de cada um.

Outro ponto: o quanto você aceita o que é novo? Qual seu grau de aceitação para mudanças? Pense em entrar numa vida onde tudo é novo. Desde os produtos no supermercado até a sua rotina e as relações no dia-a-dia. Mudar de país sem abrir a cabeça e o coração para novas pessoas torna tudo mais difícil.

Também a se considerar: como é para você viver longe da sua família? Por mais que hoje em dia possamos usar e abusar da tecnologia de Skype, WhatsApp, Imo, Facetime… a intimidade e a proximidade que a convivência nos traz, às vezes, a distância separa. Tem pessoas que farão questão de sempre estar em contato e conectados com você. Mas isso não funciona com todos os amigos e familiares. Você acaba ficando mais distante com o tempo, por não pertencer mais àquele convívio social.

Uma das coisas que mais senti falta ao morar fora do Brasil foi a queda brusca de convívio social. Batizados, casamentos, aniversários, despedidas de solteira… Em um novo país sempre se começa com zero eventos sociais e isso vai melhorando com o tempo, mas nunca será comparável a onde você tem amigos de escola, faculdade, família. A dor que mais dói é dos momentos que eu queria ter vivido, mas estava longe, e não vivi.

Além da parte emocional, as partes financeira e social também devem ser levadas em conta. Em poucos países é possível manter a quantidade de serviços prestados que temos no Brasil: empregada, diarista, babá… Essa realidade da classe média brasileira, fora do Brasil, é privilégio somente de famílias com alto padrão social. Você está disposto a limpar seu próprio banheiro e a usar tempo do seu fim de semana para faxinar a casa? Então… alguns confortos podemos descobrir que se tornam desnecessários, mas a questão aqui é: você está disposto? Abrir mão da faxineira, da babá, do frentista, do carro, do hospital particular… Isso tudo deve ser considerado. Seu emprego será no mesmo nível? Vai dar um passo atrás? Pergunte-se novamente: Estou disposto a ganhar menos e diminuir meu padrão social em troca de qualidade de vida?

Outro fator importante é conhecer a tributação do país em que vai morar. Não adianta fazer planos com seu salário bruto. Deve-se considerar sempre os descontos de IR, que em alguns países pode chegar até 60%. Colocar tudo na ponta do lápis e planejar-se financeiramente é tão fundamental quanto comprar sua passagem de ida.

Hoje, se um amigo me perguntasse se vale à pena morar fora, eu listaria todos esses itens acima para que ele pensasse com carinho. A experiência de morar fora vale, sim, à pena para quem de forma consciente faz esta escolha. Seja por um tempo, seja para a vida toda.

É uma tarefa de desapegar-se do que não se encaixa mais em sua vida para que se abra espaço ao que é novo. A segurança dá lugar ao frio na barriga. Um ciclo que se fecha e outro que se inicia. Tudo vai depender da sua forma de encarar e viver suas escolhas. Você está disposto?

19 Comentários

  1. Analu, adorei seu artigo, é bem isso mesmo, moro há 3 anos no Líbano, marido árabe, foi uma mudança que não planejei, veio depois do casamento rs, como você disse, devemos estar dispostos ao novo, ao diferente, inconscientemente criamos uma barreira, que torna tudo mais difícil, no Brasil eu era engenheira, aqui sou mãe de uma princesa e cuido da casa em tempo integral, foi uma mudança brusca de rotina, ainda estou me adaptando rs…

    • Oi Marcia, obrigada por comentar e fico feliz que tenha gostado do texto. Primeiramente, me da aqui um abraço virtual de solidariedade pois temos a mesma história em livros diferentes… tb larguei minha profissão de lado para ser mãe em tempo integral. Meu marido é brasileiro o que pode facilitar (ou não) na adaptação… mas a vida é isso, não é mesmo? Viver o novo e estar aberto às novas experiências! Beijos aqui de Portugal para você!

  2. Oi Analu…adorei seu texto, pois me identifiquei muito com ele. Tambem sou mae em tempo integral. Vivo ha 6 meses na Inglaterra ( bem proximo de Londres) e mudo para Espanha em agosto. So quem vive essa experiencia fora do pais sabe de fato as dores e alegrias dessa aventura nao é mesmo?
    Beijos e sorte para nos!
    Tania Minatel

  3. Parabéns Analu! Ótimo texto, mt esclarecedor e com ele podemos pensar certas questões, vale a pena ou não deixar de viver certas coisas? Gostei! Conheço Cascais, linda cidade. Bjus.

  4. Oi Analu! Adorei o seu post! Me identifiquei com mtas coisas que vc falou! Apesar de estar aqui França há pouco tempo, mas já consigo sentir muito de tudo isso… já não moro na minha cidade natal há 6 anos… depois que colocamos o pé pra fora sempre temos um misto de saudade e felicidade por estar fora.
    Beijos!

  5. Analu, amei seu texto!
    Gostaria muito de lhe conhecer. Estarei em Portugal em julho.
    Tenho um blog também, um pouco diferente, Adoraria se você entrasse em contato.
    Obrigada

  6. Olá Analu,

    Descobri recentemente o site de você estou apaixonada. vocês dão dicas muito legais e precisas. Moro no Rio de Janeiro e estou querendo mudar para Portugal. Sou professora universitária concursada em uma universidade federal aqui do RJ. Gostaria de saber qual a média de remuneração de um professor em universidade aí, custo de vida e quais os documentos que teria que providencia para trabalhar aí. É barato comprar ou alugar imóvel? qual a média de valores? Iria eu, meu marido, minha filha menor e minha mãe.
    Se puder me ajudar eu ficaria super grata.Beijos

  7. Melhor post sobre morar fora que via até hoje! Muita sinceridade e mostrando todos os pontos sem tomar partido de ser bom ou ruim!!! Parabéns!!!

    • Super obrigada, Mhayara! Acredito que a experiência de morar fora é muito particular da personalidade e momento de vida de cada um, por isso achei importante destacar os pontos levantados. Beijos 🙂

  8. Parabéns Analu pela honestidade e sensibilidade em escrever esse post. Nos faz pensar duas vezes antes de tomar uma decisão.
    Infelizmente o nosso país se encontra num momento muito difícil e isso nos leva a pensar em ir em busca do que está faltando: segurança, saúde, educação…
    No fundo fico torcendo para que um milagre aconteça e que consigam colocar o Brasil em ordem. De outra forma me juntarei a você em Portugal para criar meus filhos com segurança e tranquilidade que aqui não temos mais!

  9. Olá Analu, gostei muito da materia, moro em portugal a 3 anos, em Cascais com minha esposa e minhas filhas, temos uma qualidade de vida que não conheciamos quando moravamos em Porto Alegre/RS… Parabéns pelo post!

  10. Boa tarde Analu, ano que vem quero ir para Portugal mas qual cidade escolher. estou entre Cascais, Faro e Braga, como é a vida aí em Cascais, estou indo com esposa e filhos. Minha preocupação não é emprego e sim adaptação, colégios…Parabéns pelo Blog

    • Ola Lucio, moro em Cascais e sei que aqui existem muitas escolas boas, muitas delas internacionais. Vale a pena pesquisar na internet e entrar em contato com as escolas, pois as vagas (mesmo das particulares) acabam muito rapidamente. Lembrando que o in’icio do ano letivo por aqui eh em Setembro. Boa Sorte!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui