BrasileirasPeloMundo.com
Espanha

Tipos de tradução

Quem acompanhou os textos anteriores deve ter observado que há muitas linhas de trabalho dentro da tradução. Cada tradutor pode se especializar dentro da área que mais lhe interessar. Entretanto, é necessário conhecer algumas exigências do mercado para desenvolver determinados trabalhos.

Chamamos de tradução técnica aquele trabalho específico de uma área: economia, engenharia, medicina, odontologia, veterinária etc.

De fato, os tradutores técnicos não se especializam somente em uma área, senão em várias, porque à medida que trabalham, vão entrando novos projetos e novos clientes.

Quando o tradutor se especializa em várias áreas ele tem mais facilidade na hora de realizar um trabalho, porque os vocabulários específicos já são familiares e podem ficar armazenados nas memórias dos programas de tradução assistida.

Dentro das traduções técnicas há muitos segmentos que podem ser explorados, mas talvez os mais interessantes sejam estes:

Tradução Literária: tradução de livros, de maneira geral.

Tradução Científica: tradução acadêmica, ou seja, dissertações, teses, artigos científicos, podendo ser de uma ou várias áreas específicas. Normalmente estas traduções incluem tabelas, gráficos, fórmulas etc.

Tradução Jurídica: tradução de materiais da área de Direito. Podem ser livros, artigos (científicos ou não), formulários etc.

Nota importante: A tradução jurídica está muito relacionada à tradução juramentada, que é a tradução de documentos legais, mas não é o mesmo trabalho.

Um tradutor juramentado deve ter passado por um processo seletivo no Ministério de Assuntos Exteriores e de Cooperação (MAEC) do país. Uma vez tenha sido aprovado, o órgão governamental lhe dará um documento oficial (credencial) para que possa exercer esta atividade.

Os processos seletivos variam de país para país. Na Espanha, o MAEC realiza as provas uma vez ao ano para determinados idiomas. No Brasil, a prova é realizada pela Junta Comercial do Estado e não acontece todos os anos.

Deixo o site do MAEC para quem estiver interessado em saber mais sobre o assunto na Espanha.

Quem quiser saber mais sobre o processo no Brasil deve procurar a Junta Comercial do Estado onde mora, já que cada Estado tem a sua.

Os preços das traduções técnicas variam de acordo com o mercado. No Brasil existe uma tabela de referência oferecida pelo Sindicato Nacional dos Tradutores (SINTRA).

Realmente os preços propostos pelo SINTRA nem sempre são aplicáveis em todas as regiões. Neste caso, é recomendável que o tradutor faça um estudo prévio de mercado onde vai exercer sua atividade. A partir daí, poderá estabelecer seu preço, de acordo com sua experiência. Leia mais sobre o SINTRA .

Imagem: www.transcreare.com
Imagem: www.transcreare.com

As traduções juramentadas, de maneira geral, possuem um preço muito mais elevado que as traduções técnicas. Não somente porque exigem uma prova de proficiência, mas também pelas responsabilidades do profissional ao realizar este trabalho. Normalmente, contêm assinaturas, carimbos e adesivos representativos de órgãos governamentais.

Perante as entidades públicas e processos jurídicos entre países, somente este tipo de tradução tem valor. As traduções técnicas, científicas ou jurídicas somente têm valor ao solicitante.

Possivelmente, ser tradutor juramentado é o último passo na carreira de um tradutor técnico. No entanto, como vimos, é um processo que pode demorar algum tempo e já exige muita preparação. Conforme passam os anos, há mais competição e os processos seletivos se tornam mais difíceis.

Atualmente podemos encontrar algumas academias de estudo especializadas que oferecem cursos de formação para preparar os profissionais para esta seleção, de acordo com o idioma que lhe interessa. Deixo uma indicação de uma delas aqui em Madrid: FIDESCU. No site da entidade é possível encontrar informações como as combinações possíveis de idiomas para a prova, duração e preço do curso.

No Brasil, não tenho informações precisas de ofertas de cursos preparatórios de qualidade para esta prova. A única informação que posso transmitir é que existem algumas escolas de idiomas que dão alguma orientação sobre a prova. Talvez a alternativa mais adequada seja localizar um tradutor jurado mais próximo e solicitar informações sobre o processo.

É importante ressaltar que estes cursos preparatórios não são obrigatórios para ter acesso à prova, mas podem colaborar muito com o desempenho do profissional interessado porque aportam informações de muito valor e dão a preparação e segurança necessária para ter um bom resultado.

Assim, se o tradutor reúne os requisitos necessários para se inscrever nestas provas de seleção, tem experiência na área e faz um curso preparatório, certamente os bons ventos soprarão ao seu favor.

Related posts

Dia da Comunidade Valenciana e a Mocadorà

Thais Maciel Gomes

Croqueta: a melhor tapa espanhola

Carolina Lauzen

Quero morar fora do Brasil, o que eu faço?

Tati Sato

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação